quarta-feira, 31 de março de 2010

Uma igreja baseada nas Escrituras, para o bem do Reino de Deus

Igreja cristã que se baseia na Bíblia Sagrada idealmente teria que ser uma igreja saudável! Você pode questionar: Mas as igrejas cristãs baseadas na Palavra de Deus, não são sempre saudáveis? Eu responderia: Depende. E você: Mas, como assim ?

Depende, pelo fato de que o elemento humano constituinte da igreja, todos nós portanto, nem sempre estarmos inteiramente apegados ao que dizem as Escrituras e introjetarmos ideias próprias ao texto sagrado. Uma questão de interpretação, portanto. Veja o exemplo dos proponentes do Movimento de Batalha Espiritual. É muito óbvio para todo crente que lê sua Bíblia e compara com sua experiência diária de vida, que estamos de fato envolvidos em uma luta contra os principados e potestades que nos fala Paulo em Efésios 6. Mas os defensores ferrenhos daquele movimento, teimam em interpretar erroneamente várias passagens bíblicas, trazendo a questão para um terreno inteiramente místico e desprovido do equílíbrio que se faz necessário. Vamos a alguns exemplos.

Veja sobre a questão da famigerada doutrina da maldição hereditária. Distorcem, por exemplo, o texto de Êxodo 20 sem nenhum pudor. Esta passagem inteiramente se coaduna com a nação de Israel e à idolatria, nada falando portanto sobre “espíritos” de pornografia, adultério, alcoolismo e outros imagináveis. E este é um grande erro porque fazem com que o texto fale o que não está absolutamente dizendo. Claramente se vê neste e em outros textos que o que prevalece, são ideias realmente preconcebidas, achegam-se ao texto com uma ideologia pronta e enxergam na Palavra de Deus o que ela não está dizendo de forma alguma.

Outro exemplo gritante refere-se ao legalismo de usos e costumes. Igrejas há que defendem com muito ardor suas ideias neste campo. Santidade para eles é uma questão de fazer ou deixar de fazer alguma coisa. Ou então, refere-se a aspectos exteriores tão somente. Fala-se em alguns destes ministérios sobre o chamado “espírito de Jezabel” (?!?!) que seria o espírito inspirador das “vaidades” nas irmãs. Mais um erro de interpretação. Jezabel foi uma rainha pagã má, casada com o rei Acabe de Israel que, como qualquer outra mulher, gostava de produzir-se e fez isto pela última vez quando Jeú foi ao seu encontro (2 Re 9.30). Nada no texto há de condenatório, da parte de Deus, pelo fato de ela ter pintado-se em volta dos olhos e ter enfeitado sua cabeça. Aliás, em uma passagem notável que deita por terra as doutrinas legalistas de que a mulher cristã não pode usar jóias ou enfeites, Ezequiel 16.1-14, mostra o próprio Deus como o sujeito da ação, nos versos 11 a 13 a dar a Israel, concebida na figura de uma formosa mulher, adornos, braceletes, colar, pendente, brincos, tudo de ouro e prata, além de vestidos de linho fino e de seda. Tudo da mais alta qualidade. Ainda sobre o “espírito” de Jezabel (que na verdade tornou-se um jargão usado por crentes legalistas) não encontra-se na passagem de 2 Reis e nem em Ap 2.20 na carta à igreja em Tiatira, onde uma certa mulher por nome Jezabel é mencionada, e nem em nenhum outro lugar na Bíblia, a existência de um espírito, um demônio, por nome Jezabel que seria o mentor das “vaidades” nas crentes em Jesus.

A prosperidade na vida do crente, é outro exemplo que queríamos abordar. Igrejas há que enfatizam com grande audácia que o seguidor de Cristo deve ser “cabeça” e não “cauda”. Ele é filho de Deus, herdeiro do Reino e portanto, deve dominar sobre tudo. “Tomar posse” é a palavra de ordem. “Determinar” também porque temos autoridade e tudo deve estar-nos sujeitos, pensam. A Teologia da Properidade viola regras básicas da exegese e hermenêutica bíbica. Enfatizam sobremaneira o fator monetário e afirmam com todas as letras que ser dizimista e ofertante é ser abençoado. De fato, cremos que há uma benção de Deus sobre o crente que, numa atitude de gratidão ao Senhor e amor ao Reino, dizima e oferta fielmente, mas isto numa atitude repito, voluntária e com amor e liberalidade (2Co caps. 8 e 9). Sem forçar a barra.

Outra área em que a Igreja deve basear-se inteiramente no que diz a Bíblia e não nas elucubrações humanas é no que tange aos relacionamentos entre os membros do Corpo de Cristo. 1 Coríntios 12 é uma passagem que mostra a mutualidade que deve haver entre os membros da Igreja. Esta reciprocidade nos relacionamentos nem sempre acontece nas igrejas por causa de uma visão de valorização extrema da grande reunião, da multidão, onde não se pode cultivar a amizade e a real comunhão entre os crentes. Muitas vezes, isto não é exemplificado pelos pastores e/ou obreiros que parecem fazer questão de manter uma relativa distância dos membros, das ovelhas, não visitando-as, não procurando-as e muito menos, não estimulando-as a manterem comunhão uns com os outros. Necessário se faz que os crentes aprendam a relacionar-se (1 Co 12.26). Isto é inteiramente bíblico, ou seja, é a vontade de Deus para a Igreja.

Muitos outros exemplos poderiam ser arrolados, mas estes foram trazidos à baila na expectativa de suscitar uma reflexão em você, leitor. Uma Igreja cristã pode estar com a Bíblia aberta em seu púlpito e mesmo assim não basear sua prática no que realmente está escrito, por falhas na interpretação. E a pregação do Evangelho, a expansão do Reino de Deus entre os homens deixa a desejar, para não dizer sobre a baixa qualidade de vida cristã que se vivencia em muitas destas denominações.

No final, o que realmente importará é se seguimos de fato o que ensina a Bíblia ou se preferimos a Bíblia misturada com ensinamentos humanos que podem ser discernidos e evitados pelo próprio estudo da Palavra sob a orientação do Espírito Santo, conforme as palavras do Senhor Jesus: Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito”; “Mas, quando vier aquele, o Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir” (Jo 14.26; 16.13).

A Igreja pode e deve ser saudavelmente bíblica, pense nisto!

segunda-feira, 29 de março de 2010

O evidente fator demoníaco nas religiões humanas

O Cristianismo, em sua proclamação, afirma que somente em Jesus Cristo o homem encontra a salvação e seu caminho para encontrar a Deus: E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”; “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (At 4.12; Jo 14.6). Dito isto, temos a base segura para nos assegurarmos de que em qualquer outra expressão de fé que não seja baseada em Jesus Cristo e no conteúdo do Evangelho, não logrará o homem salvação de qualquer forma.

Os principados (gr.“archai”) e as potestades (gr.”eksousia”) agem contra a vontade revelada por Deus para o homem por meio do Evangelho (Ef 1.3-23). Desta maneira, todos os sistemas religiosos são de evidente inspiração demoníaca. São poderes sobre-humanos (ou seja, demônios) que se encontram em rebeldia contra Deus. São vontades pervertidas, autônomas, que insistem em contrariar o plano de Deus para o homem. E governando sobre estes poderes está o antigo querubim da guarda ungido, agora príncipe das potestades do ar, Satanás (Ez 28.11-19; Ef 2.2).

Este fator demoníaco nas religiões ao redor do mundo, tem pelo menos quatro principais características, segundo Walter Freytag no livro New Age, A Nova Era á Luz do Evangelho (Edições Vida Nova e Editora e Livraria Esperança) que são:

1) Exercem domínio sobre o homem. Não só as evidências óbvias que nos confrontam com o fato, como a possessão demoníaca, falam disso; a própria religião em si domina o homem. É uma forma de domínio sobre o homem, a qual é diferente do senhorio de Cristo.

2) Possuem aparência do bem, mas apegam-se tenazmente ao mal. Em todas as religiões encontramos verdades. Nas religiões primitivas, principalmente em seus provérbios, encontramos muita sabedoria moral e conhecimento do bem. E principalmente nas grandes religiões encontramos inúmeras afirmações sobre o que é certo. Mas é interessante que este bem do qual temos conhecimento não é usado para nada mais do que se auto-confirmar; mais ainda, este conhecimento do bem é usado para esconder a própria falta de prática do bem.

3) Possuem um inerente poder. Realmente existe uma força. Tocamos aqui no fator da magia e feitiçaria. É um fato estranho que as pessoas na Europa e nos Estados Unidos geralmente vejam a feitiçaria como trapaça em todos os casos, não como uma verdadeira força. Bem, é claro que muito na feitiçaria pode ser trapaça. Mas o simples fato de missionários pioneiros relatarem o que feiticeiros falavam: “Desde que os missionários estão em nosso país, nossa magia perdeu sua força” – este fato talvez represente realmente mais do que algo que se possa explicar simplesmente como psicológico.

4) Vivem da força de Deus contra Deus. Esta é a característica mais profunda do fator demoníaco. Ele vive da força de Deus contra Deus. Pois o conhecimento do bem, com o qual o homem esconde o mal, vem-lhe de Deus. Também a magia, não seria ela, no fundo, a possibilidade e capacidade dada por Deus de formar, dominar e subjugar? Ambas estas coisas, o conhecimento do bem e esta capacidade, são empregadas contra Deus. Este é um fenômeno muito humano; é, em última análise a essência do pecado.

Afastar o homem do Deus verdadeiro, enganá-lo e acorrentá-lo ao pecado, são os objetivos principais de Satanás. O fascínio pela independência de seu Criador e poder viver como quiser, move continuamente o homem. Inspirados pelo príncipe deste mundo, os homens inventaram variadas maneiras de alçar a dimensão transcendente de sua existência à parte da revelação divina exarada na Bíblia. Quantos seres humanos estão hoje acorrentados a doutrinas estranhas ao Evangelho. E, infelizmente, dentro do próprio Cristianismo, heresias existem desde o nascimento da Igreja, num bem sucedido ardil do Maligno para corromper a essência da fé cristã. Tanto dentro como fora das fileiras do Cristianismo, uma rede de enganos foi urdida pelo diabo para manter as almas sob seu domínio. O trabalho de engano é milenar, começa no Éden, perdura ainda hoje e culminará na futura super religião mundial que surgirá no planeta durante a Grande Tribulação, sob o governo do Anticristo.

Não há como negar que existem coisas boas em outras religiões que não seja o Cristianismo. Mas isto está de acordo com o mestre de enganos, Satanás conforme lemos em 2 Co 11.13-15. E dentro da nossa própria fé, como tão bem deixa clara esta passagem, o diabo tem conseguido seu intento de corromper a puríssima doutrina do Senhor. Como Paulo também afirmou em 1 Tm 4.1-3, os espíritos de engano, demônios, estariam insuflando enganos nos corações e mentes de cristãos incautos, fazendo com que torcessem a sã doutrina e causando-lhes a apostasia da fé em Jesus.

Portanto, não só nas religiões não-cristãs evidencia-se o fator demoníaco, como também dentro das próprias fileiras da cristandade. O grande apóstolo Paulo alerta aos presbíteros da igreja de Éfeso, ao despedir-se deles em At 20.28-31: "Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue. Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós, lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho; E que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si. Portanto, vigiai, lembrando-vos de que durante três anos, não cessei, noite e dia, de admoestar com lágrimas a cada um de vós.”

A Bíblia fala que, Deus, em Cristo, libertou-nos do império das trevas (Cl 1.13), despojou os principados e potestades (Cl 2.15) e desfez as obras do diabo (1 Jo 3.8). O escritor aos Hebreus diz-nos ainda que Cristo pela sua morte, aniquilou o que tinha o império da morte, isto é, o diabo e livrou a todos que, com medo da morte, estavam por toda vida sujeitos à servidão de Satanás e seus demônios (Hb 2.14,15). Assim, o fator demoníaco existente nas religiões já está derrotado pela obra consumada de Jesus Cristo na cruz do Calvário. O crente não deve em hipótese alguma temer as asseverações das outras religiões, porque são mentirosas, inspiradas que são pelo pai da mentira (Jo 8.44). A Igreja deve avançar para a conquista de almas, ajudando-as a libertarem-se do cativeiro do engano do pecado e do diabo, pregando a eterna verdade do Evangelho para essas pessoas.

Jesus já conquistou a vitória. Mas as potestades do mal e seu chefe ainda tem permissão de agir no mundo, cumprindo os propósitos de Deus, porque tudo está sob seu soberano controle. Mas, o Deus de paz em breve esmagará a Satanás debaixo de vossos pés” (Rm 16.20).

Pense nisto.

sábado, 27 de março de 2010

Deus, o justo Juiz

Todos nós, de uma forma ou de outra, estamos conscientes de que um dia haverá um acerto de contas com nosso Criador. E será este um julgamento imparcial. Deus não julgará segundo os padrões a que nos acostumamos. Os juízes humanos julgam segundo a evidência apresentada perante eles por outrem. Mas Deus mesmo demonstrará a evidência que não deixará dúvida alguma da culpabilidade daquele que comparecer perante Ele para o derradeiro julgamento (Ap 20.11-15).

A justiça ou retidão de Deus é revelada em Sua Palavra, a Bíblia Sagrada. Estejamos todos absolutamente certos de que seu juízo será imparcial. Não se fará acepção de pessoas (Rm 2.11). Será sem caprichos pessoais. Prevalecerá plenamente Sua justiça. Sendo Deus quem é, não haverá a menor possiblidade de erros serem cometidos. Ele conhece perfeitamente passado, presente e futuro. Sua onisciência garantirá um julgamento isento de erros.

Um dia já está determinado para este julgamento (At 17.31; Rm 2.16). Quem julgará também já é conhecido. O que será julgado também. Portanto, Deus em Sua augusta soberania, afirma para todos os homens, para que não hajam dúvidas de que, sim, haverá um dia de acerto de contas.

Não terá o ser humano, seja ele quem for, nenhum mérito ante o Trono do juízo. Diante de um juiz humano, é mui provável que o advogado de defesa aponte para as qualidades do réu. Poderá delongar acerca de seus feitos, de seu caráter, em alguma espécie de estratégica defesa. Isto absolutamente não ocorrerá diante do Tribunal divino. Não haverá como o homem comparecer perante Deus no dia do Juízo Final e tentar esboçar alguma justificação. Tudo estará mui transparente. Tudo muito bem explanado. NADA FICARÁ OCULTO.

O castigo da desobediência dos pecadores será justo e inflexível. Não haverá concessões. Lembremo-nos que estaremos diante do Perfeito Ser que aplicará a perfeita justiça. Deus instituiu um governo moral no mundo, impôs leis justas às Suas criaturas, e anexou sanções a elas. A execução dessas leis envolve recompensas e castigos. Justiça remunerativa é o nome que se dá à distribuição de recompensas da parte de Deus, àqueles que lhe são fiéis (Rm 2.6,7,10). Justiça retributiva ou punitiva é aquela em que Deus inflinge castigo aos impenitentes e rebeldes (2 Ts 1.8).

Entretanto, temos por certo também de que Deus já julgou o pecado na cruz por meio de Seu Filho, Jesus Cristo. A pena da lei foi aplicada sobre Cristo. Por isso seu sacrifício foi um sacrifício vicário. Um sacrifício substitutivo. A justiça de Deus permitiu que houvesse a substituição de uma pessoa por Outra. A justiça perfeita de Deus evidentemente exigiu o castigo do pecador, mas (e glória a Deus por isso), pôde aceitar o sacrifício vicário de outrem e neste caso Jesus Cristo! Isto é o Evangelho.

Se você acompanhou-me até aqui, então entenda, seja você quem for, que na cruz de Cristo, Deus demonstrou tanto o julgamento do pecado humano, como sua misericórdia em justificar o pecador. Você não precisa chegar até o dia do Juízo Final, diante do Grande Trono Branco (Ap 20.11). Creia que na cruz, Deus, como bem escreveu John Stott em A Cruz de Cristo: “Deus não apenas propiciou a sua ira, resgatou-nos da escravidão, justificou-nos a seus olhos e reconciliou-nos consigo mesmo, mas também defendeu e demonstrou a sua própria justiça. Pelo modo como nos justificou, também justificou a si mesmo.” Aqueles que comparecerem perante o trono do Soberano do universo, receberão inflexivelmente sua condenação conforme Sua reta justiça.

Agora é o momento de você ser justificado diante do Senhor, atente para Hb 3.7,8a: Portanto, como diz o Espírito Santo: Se ouvirdes hoje sua voz, não endureçais os vossos corações”. A morte de Jesus foi um ato perfeito de justiça, porque satisfez a lei de Deus. Com fé, receba agora a justiça de Cristo que é imputada sobre você e esteja em paz com Deus, escapando portanto do dia do grande juízo,veja Rm 5.1: Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo.”

Cristo expiou nossa culpa, satisfez a lei de Deus e tornou-se nosso substituto. Não temos mérito nenhum diante de nosso Criador. Pense nisto.

quarta-feira, 24 de março de 2010

A China, o Google e a Palavra profética

O governo chinês proibiu definitivamente as atividades da empresa Google em seu território nesta semana, alegando que a empresa não cumpriu as determinações para funcionamento no país. O buscador Google já estava sendo monitorado e censurado há algum tempo e agora o governo de Pequim resolveu proibir totalmente suas atividades.

O tamanho e o potencial de mercado da China é realmente fabuloso: 400 milhões de consumidores. A gigante norte-americana computaria muitos lucros em tal mercado. Certo é que no embate entre os dois gigantes China X Google, esta saiu perdendo. Pelo menos por enquanto.

A bola da vez passa agora a estar em Hong Kong. O Google transferiu para a outrora colônia britãnica todas as suas operações. A China censurava os acessos quando se tratavam de assuntos como o massacre da Paz Celestial ou a ocupação do Tibete, por exemplo. Em Hong Kong estes assuntos e outros, a princípio, poderiam ser acessados sem restrição. Porém, é só uma questão de tempo para que os filtros de censura também ali sejam aplicados e Hong Kong perda sua liberdade pois a cidade pertence à China mas goza de relativa autonomia. Todo conteúdo disponível nos sites de busca da internet passa obrigatoriamente pela aprovação do Departamento de Informação e Propaganda.

A China é uma potência mundial e os comunistas governam com mão de ferro. O controle que o governo exerce sobre a opinião e o fluxo de informações contrárias à sua ideologia é ferrenho. Mantendo-se a proibição, perderá a empresa Google, mas também o público consumidor chinês pelo que o Google tem a oferecer em serviços na web. Porém, o Google, apesar de ser o maior site de buscas do mundo, na China ele fica em segundo lugar, bem distante do chinês Baidu.com.

Biblicamente falando, cremos que o papel da nação chinesa no futuro governo mundial será um tanto quanto ambíguo. Não acreditamos que o Anticristo dominará este país como fará com vários outros. Creio que o Anticristo dominará toda a terra como está escrito em Apocalipse 13. Mas na China creio que será diferente. Não podendo mais a empresa Google operar no país, ali não poderá o Anticristo utilizar suas ferramentas e exercer seu domínio sobre a população. Mas certamente, outras ferramentas e tecnologias serão utilizadas para que o governo mundial anticristão seja implementado.

A China com seu governo comunista ditatorial e supressor das liberdades individuais, é somente uma pequena amostra do que será o futuro governo anticristão mundial. O Google com seu cadastro de milhões de usuários e com suas tecnologias de vigilância através das câmeras do Street View disponível no Google Earth ou no Google Maps por exemplo, proporcionará um poder sem paralelo para o Anticristo sobre a vida de cada pessoa que possui seu cadastro em algum dos serviços do Google. Acreditamos que em seu futuro governo mundial, ele não vai hesitar em dominar a vida dos usuários ao redor do mundo, através da manipulação de suas informações nos arquivos da gigante norteamericana.

Apesar desta saída do Google da China, tudo pode mudar, como o próprio país dos mandarins tem mudado e crescido a cada dia. Para nós servos de Cristo, é importante ficarmos atentos ao que se passa no panorama mundial porque os sinais do retorno de Jesus Cristo se multiplicam cada vez mais bem como os sinais de que o mundo terá um governo unificado com um super-mandatário a ditar os rumos dos habitantes do planeta, dirigindo-os a adorar a Satanás em sua própria e infame pessoa conforme a palavra profética.

Sendo assim, vamos continuar servindo ao Senhor com fidelidade, nosso testemunho nesses tempos do fim deve ser a cada dia mais fiel. Anunciemos com propriedade o santo Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo que pode verdadeiramente resgatar o homem da lama do pecado.

Pense nisto.

terça-feira, 23 de março de 2010

Caso Isabella Nardoni: Reflexões

Começou nesta segunda, dia 22, o julgamento de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá. Um julgamento aguardado com bastante expectativa. Toda a sociedade brasileira deseja saber o que realmente aconteceu naquela noite de 2008. Todo o aparato técnico-científico da polícia do estado de São Paulo foi mobilizado a fim de tentar a elucidação do caso. Isabella Nardoni foi morta pelo casal ou uma terceira pessoa esteve no apartamento no intervalo quando o casal foi buscar os outros filhos no carro na garagem do prédio? É o que todos nós desejamos saber.

Gostaria de abordar com toda isenção o fato de que obviamente estamos diante de um caso que envolveu a morte brutal de uma criança. Repudiamos com veemência o que aconteceu. Mas, o que teria levado a fato tão odioso, tão desprovido de humanidade? Sabe-se que Anna Carolina Jatobá teria ciúmes da menina Isabela e que ela e Alexandre Nardoni brigavam muito. Num acesso de crises de ciúmes de Anna ou em meio a uma briga com Alexandre, ou os dois fatores juntamente, levaram à série de agressões em Isabela conforme constatado pelas investigações e culminou em sua queda da janela do apartamento, sendo, de acordo com a perícia, tal ato realizado por seu pai, Alexandre Nardoni.

Todos desejamos que a justiça seja feita. Todos queremos que o(s) culpado(s) seja(m) condenado(s) exemplarmente. Mas a cautela é necessária porque no Brasil, muitas vezes e por causa de uma mídia que evoca o sensacionalismo, os principais suspeitos do homicídio são pré-condenados antes mesmo do resultado final das investigações ou da realização do julgamento. A própria delegada que conduziu o caso, afirmou que tem 100% de certeza de que o casal Nardoni é mesmo culpado.

Nós cristãos, mais do que qualquer outra pessoa, devemos, a exemplo de nosso Senhor Jesus Cristo, usar de misericórdia para com todos (Sl 145.8,9; Mt 9.13). Deus usa de misericórdia para com toda a humanidade pecadora e nós como Seus filhos, procedemos da mesma maneira. Não é coisa agradável ao Senhor de toda a terra, execrarmos as pessoas pelas quais Ele amou e morreu para resgatá-las. Tanto o culpado como o inocente,todos são alvos do amor incomensurável de Deus. A mídia promove um verdadeiro show em torno do caso e muitas vezes deixa transparecer nas entrelinhas a culpa evidente dos principais acusados. A condenação é antecipada. Irmãos, não convém que ajamos assim também.

A verdade certamente aparecerá, seu triunfo é certo. Mesmo sendo a justiça dos homens falha e corrupta, constituindo-se assim em injustiça, sabemos que a justiça divina é inexorável. É correta e certa. É imparcial. Creio que nossa postura, enquanto cidadãos do Reino, mas igualmente cidadãos do país chamado Brasil, é de equilíbrio e serenidade. Mas também, nesta dupla cidadania, de amor e compaixão por todas as pessoas sem distinções.

Que o Senhor tenha misericórdia de todos. Não só do casal Nardoni e de seus familiares, mas também da mãe de Isabella, das autoridades envolvidas no caso, enfim, nosso dever é cobrir a todos com nossas orações incessantes (1 Ts 5.17).

Olhemos para este caso, como tantos outros semelhantes, com o olhar terno que Jesus dispensaria a todos. Não acusaremos, mas também não deveremos permitir que a justiça seja torcida. Culpado ou culpados devem ser condenados. A Bíblia mesma diz que Deus não toma o culpado por inocente (Êx 34.7; Nm 14.18).

O mundo tem sua própria maneira de pensar e agir. E muitas vezes, esta forma de proceder não se coaduna com a verdade da Palavra de Deus. Portanto, devemos ter o devido cuidado, como crentes, com nossa própria postura pessoal. O profeta Malaquias afirma categoricamente: Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve” (Ml 3.18).

Pense nisto.

sexta-feira, 19 de março de 2010

A espiritualidade e a falta de ensino bíblico na Igreja

É de pasmar a quantidade hoje de igrejas e ministérios que não prezam adequadamente pelo ensino bíblico. Predominam com abundãncia as igrejas que enfatizam mais os cultos de celebração (com muita música, muito “louvor”) do que cultos onde a Bíblia seja ensinada com propriedade. Ou ainda, cultos onde a ênfase são as experiências com o poder do Espírito Santo. Uma geração de crentes superficiais nas Escrituras surgiu e continua a crescer devido à visão equivocada de muitos pastores de que o mais importante, como muitos afirmam, é que o crente tenha vida em Jesus, adore ao Senhor e não seja uma “enciclopédia bíblica ambulante”, como já ouvi alguém falar.

De fato, o que Deus deseja é que os Seus filhos O conheçam (Jo 17.3). Conhecer a Deus é compartilhar do Seu amor e amizade. É desse tipo de espiritualidade de caráter afetivo que precisamos. Note que no mundo evangélico existem dois tipos de espiritualidade. O primeiro é a espiritualidade de caráter cognitivo. Ele é centralizado no conhecimento onde o domínio das doutrinas e dos credos confessionais, determina o relacionamento com Deus. O outro tipo de espiritualidade é experimental, voltado para as experiências religiosas como um fim em si mesmas.

Decididamente Deus não é uma ideia ou conceito para ser conhecido (espiritualidade cognitiva), nem uma fonte de energia ou poder para ser experimentado (espiritualidade experimental), mas Pessoa para ser amada e adorada (espiritualidade afetiva).

Sem excessos, devemos sim, buscar experiências com o poder do Espírito Santo. Todavia, não deve ser a busca como um fim em si mesma. O falar em línguas, a profecia, as visões e revelações, tudo isto é bíblico. Mas eu quero argumentar que se não houver o zelo pelo ensino sistemático da Palavra de Deus, o crente não saberá como lidar com estes aspectos da fé cristã e pode descambar para o fanatismo. E sobre isto, a história da Igreja cristã dá testemunho cabal.

Também ouso afirmar que a adoração e o louvor tem de estar estritamente dentro daquilo que a Bíblia preconiza. Isto porque, há uma tendência em alguns ministérios para o adoracionismo, ou seja, o que importa é a adoração e mais nada. A vida do crente e o culto giram em torno da adoração a Deus. Sim, Ele deve de fato ser adorado. Mas onde fica o lugar do estudo de Sua Palavra. Onde a reflexão? Onde o estudo sistemático das doutrinas cardeais da fé cristã?

Por esse caminho tem andado a Igreja de hoje e muitos cristãos sinceros de coração estão ignorantes quanto aos conteúdos essenciais da fé. Estes conteúdos, sendo propositadamente redundante, somente serão apreendidos mediante a prática de ensino bíblico sério e eficaz, eficácia esta atestada pela continuidade e profundidade do que é ensinado.

Sou inconformista em relação às igrejas cristãs que dão tanta ênfase a coisas que absolutamente colocam a Palavra de Deus pregada e ensinada em segundo plano. Até citam a Bíblia em seus cultos (se é que pode-se chamar de culto algumas dessas reuniões), mas o superficialismo é grande. É aquela já velha história da igreja no Brasil que tem quilômetros de extensão mas alguns poucos centímetros de profundidade.

Vejam o caso da Escola Bíblica Dominical. Em muitas igrejas do Brasil contemporâneo, ela não existe e nem é sequer mencionada. Se alguém falar a favor de que haja uma EBD na igreja, com professores abalizados, com material didático excelente, os modernos pastores e líderes, absolutos em sua “sabedoria” haverão de dizer que a EBD está fora de moda, ou, como ouvi um pastor dizer, “a Escola Dominical é coisa do velho paradigma”. Que absurdo! E exatamente na igreja deste pastor, os excessos da Teologia da Prosperidade ou da Teologia da Batalha Espiritual acontecem e os crentes ali engolem sem pestanejar.

John Stott escreveu um pequeno, mas precioso livro, Crer é Também Pensar (ABU Editora) onde defende o uso correto de nossas mentes. Defende que a mente e a razão tem o seu lugar na vida cristã. Há igrejas onde seus pastores jamais ensinaram de forma sistemática as doutrinas básicas da fé cristã em alguma série de estudos bíblicos em um culto com esta específica finalidade. Nunca mencionaram sequer e nem consideram a possibilidade de haver em sua congregação seminários ou conferências sobre doutrinas bíblicas ou sobre seitas e heresias, por exemplo. No que tange às seitas e heresias, seria prudente que o pastor tivesse o zelo de falar sobre os grupos heréticos existentes, ou os mais atuantes em sua localidade e ministrasse estudo sobre estas seitas e em como evangelizar seus adeptos.

Stott em seu citado livro, escreve que “Deus não pretende que o conhecimento seja um fim em si mesmo, mas sim que seja um meio para se alcançar algum fim”. Em seguida ele defende quatro pontos essenciais concernente ao conhecimento bíblico. Em primeiro lugar, o conhecimento deve conduzir à adoração, deve conduzir á fé, deve conduzir à santidade e por último o conhecimento bíblico deve conduzir ao amor.

Não acredito em pastores que dizem que o estudo da Bíblia não é assim tão necessário. Condenam o estudo sistemático das Escrituras, alegando que o que importa é que o crente tenha vida, mas as igrejas deles estãos cheias de filhos de Deus ignorantes quantos aos essenciais da fé. Falam que o que importa é a formação do caráter de Cristo na vida do crente. Sim, mas este caráter deve estar embasado em conhecer o que a Bíblia diz sobre o caráter de Deus. O estudo de Seus atributos. O estudo do caráter de Cristo. Enfim, eles querem formar o caráter mediante experiências que acham que o crente deve passar na vida, ou mediante a participação em cultos exuberantes apenas, mas descuidam do embasamento bíblico, a doutrina cristã de fato.

Neste momento, trago à baila a palavra do profeta Oséias: O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento” (4.6a). E também o que Paulo asseverou em 2 Tm 4.3: Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências.” Esse “amontoar doutores” significa aqueles que ensinam doutrinas que não se conformam ao correto ensino bíblico, ou seja, a pura e sã doutrina bíblica, e que por isso fazem com que seja menosprezado o ensino bíblico e sistemático da fé cristã, tanto de púlpito como em salas de aula mediante uma EBD que prime pela excelência dos ensinos genuinamente bíblicos.

A espiritualidade cristã não pode jogar na lata de lixo a prática do ensino bíblico. Onde fica então o dom de mestre ou doutor conforme Efésios 4.11?

Mais Bíblia e reflexão e menos festa na igreja brasileira. É uma igreja superficial do qual faço parte e também em parte responsável por este superficialismo. Mas amo aos irmãos porque o conhecimento bíblico conduz ao amor como bem frisou John Stott. E desejo ver a Igreja do Senhor e eu mesmo crescendo ainda mais não só na adoração, não só nas experiências espirituais, mas muito mais ainda no conhecimento do conteúdo dos oráculos de Deus.

Você, que tenho certeza que ama a Deus e Sua Palavra imutável, pense nisto.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Tenha pressa, mas para viver em santidade

A pressão dos compromissos do homem hodierno, invariavelmente leva-o a ter um viver acelerado que por sua vez gerará a ansiedade e o stress. Muitos estudiosos já recomendam há tempos que o homem desacelere. Que a pressa em tudo seja deixada de lado e o homem faça as coisas em seu cotidiano de uma forma mais suave e sem o estigma da competitividade que é o que na verdade, gera toda esta pressa irracional. Sabemos que é quase impossível deixar de acelerar em muitos dos momentos de nosso cotidiano. Isto é o preço a pagar para viver a vida na chamada sociedade da informação. É incrível imaginar um mundo sem pressa como era até antes da Revolução Industrial pelos idos do século 18. A partir daí, tudo mudou.

Desejo de todo coração que meus contemporâneos desacelerem. Que relaxem. Que possam voltar (se é que um dia já o fizeram) a sua atenção para as coisas simples de seu cotidiano. Começando entre seus familiares, seus vizinhos, amigos. É mesmo necessário viver de forma mais despojada. A vida pacata que nossos antepassados viviam é o ideal de muitos hoje....mas não sem antes terem corrido muito, acelerado demais, vivendo uma pressa que os conduzirá aos píncaros da realização profissional…… mas aos custos de sua saúde e sua felicidade na maior parte das vezes.

O pastor Ricardo Barbosa em seu excelente livro O Caminho do Coração (Encontrão Editora) afirma: “A competitividade instalou-se no homem moderno como um vírus para o qual ainda não se descobriu nenhum antídoto. Pelo contrário, ele vem sendo alimentado pelo individualismo e o consumismo que se tornaram o passaporte para a realização do homem.” E até mesmo na Igreja, escreve o autor, este fenômeno vem atingí-la em sua natureza essencial, desagregando-a e comprometendo-a enquanto comunidade de discípulos de Cristo.

É aqui que quero recomendar algo para nós que já conhecemos a Jesus Cristo e estamos a bordo de excelentes promessas conforme diz a Palavra de Deus (Hb 10.36; 11.40; 12.28). Se o homem moderno está vivendo apressadamente e para alguns isto é uma virtude e não algo necessariamente mau, se ele corre, acelera seu viver mas, como disse o pregador: Vaidade de vaidades, diz o pregador, vaidade de vaidades! Tudo é vaidade” (Ec 1.2), ou seja, tudo o que ele faz é vão sem a presença de Deus em sua vida, nós devemos pensar em nossa vida com Ele e corrermos sim, mas para vivermos em santidade!

Isto significa que não devemos atrasar nossa caminhada de santidade, mas pelo contrário, acelerá-la. Correr neste caso, é fundamental. Já estamos atrasados. Sermos santificados a cada dia deve ser nossa prioridade absoluta, afinal devemos seguir a paz com todos e a santificação sem a qual não veremos ao Senhor (Hb 12.14). Deus quando chamou Israel para a aliança no monte Sinai disse: Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardades a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a terra é minha. E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo. Estas são as palavras que falarás aos filhos de Israel” (Êx 19.5,6). E no NT, Pedro é quem afirma: Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda vossa maneira de viver; Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo” (1 Pe 1.15,16). Não é bom para o homem a corrida enlouquecedora que faz a cada dia, corrida que gera problemas físicos, psicológicos e espirituais. Mas, para o crente, é boa a corrida ao encontro da santidade.

O escritor aos Hebreus diz no cap. 12.1b: “….corramos com paciência a carreira que nos está proposta.” Os percalços do caminho de santidade são muitos, mas o SENHOR nos ajudará. Eu quero neste caso, ter pressa, pressa para agradá-lo, pressa para ser diferente do mundo, pressa para buscá-lo de todo o meu coração.

Não tenha tanta pressa portanto em seu dia-a-dia. Desacelere. Relaxe. Fique tranquilo. Todavia, se você já conhece ao Senhor Jesus, acelere, tenha prontidão, preocupe-se com sua vida diante d’Ele. Seja um verdadeiro e autêntico santo de Deus em meio a esta sociedade perversa e corrupta como Paulo declara em Fp 2.15.

Tenha pressa em ser santo, pense nisto.

sábado, 13 de março de 2010

Sombras da Nova Ordem Mundial

Aumentam a cada dia as conjecturas sobe como será o futuro da humanidade em nosso planeta. Previsões sombrias pairam sobre as nossas cabeças, o que é natural por causa dos fatores múltiplos que fazem parte do panorama atual do mundo.

Muito se tem falado sobre as ameaças climáticas e há dúvidas sobre se realmente a Terra está mais quente, por causa da ação do homem, ou se isto é algo cíclico pelo qual o planeta deve passar.

Poucos são os que, todavia, tem se debruçado sobre as questões éticas. Isto bem pode ser por causa de uma cosmovisão pagã que não faz distinção entre o bem e o mal. Esta visão de mundo,contrária ao que diz a Palavra de Deus chama-se monismo e vê tudo como uma coisa só. Não há distinções. E as implicações desta forma de ver o mundo trarão consequências desastrosas para a humanidade uma vez que a Igreja for tirada de cena por causa do Arrebatamento (ou então estas consequências ocorrerão, se os póstribulacionistas estiverem corretos em sua interpretação sobre o retorno de Jesus, com a Igreja estando sobre a Terra).

A declaração fundamental do Movimento da Nova Era é o monismo. “Tudo é um”. Crêem também que cada pessoa é um deus em potencial. A consequência desta crença, será a aceitação unânime do futuro governante mundial. Uma nova elite já está trabalhando nos bastidores para que a humanidade submeta-se sem maiores percalços à ideia de um governo único mundial. Já se delineiam no horizonte os contornos desse superestado que abarcará a tudo e a todos. Para sobreviver nesta Nova Ordem Mundial, as pessoas abandonarão as noções tradicionais de liberdade e dignidade.

A orquestração diabólica que trará à luz este governo mundial anticristão e seu governante máximo, a Besta de Apocalipse 13, já está há muito tempo em ação, aliás desde a queda do homem no Éden (Gn 3.4,5; 2Ts 2.7). O princípio de rebelião que Paulo denomina “mistério da iniquidade” cresce continuamente.

O superestado que está em formação suprimirá a liberdade do homem. De forma sutil inicialmente, mas crescente em eficácia, a esmagadora opressão de Satanás através do Anticristo será cruel e impiedosa. O mundo nunca mais, a partir deste tempo que a Bíblia chama de Grande Tribulação (Mt 24.21) que é 70a semana de Daniel (9.27) viverá como tem vivido até agora. Serão dias muito aflitivos. Jesus disse que se aqueles dias não fossem abreviados ninguém se salvaria (Mt 24.22). A desvalorização da vida, a destruição dos valores cristãos, a blasfêmia contra Deus, a exaltação do ego, estarão na ordem do dia. Interessante observar a etimologia de tribulação: no grego, o termo é thlipsis que traz em si a ideia de pressão como se houvesse uma grande carga sobre o espirito humano.

Recordamos aqui o livro de George Orwell 1984 onde uma sociedade totalitária e um estado policial são retratados e o olhar onipresente do Grande Irmão estava em toda a parte. Mas a ficção somente dá uma pálida ideia do que acontecerá na realidade daqueles dias. No atual estágio em que se encontram a tecnologia e a informática, o Anticristo será totalmente onipresente, ninguém poderá esconder-se, ninguém poderá viver como se ele não existisse, toda dissidência será violentamente esmagada porque o mundo será um estado policial, na realidade, o mundo tornar-se-á uma enorme prisão. Se alguém quiser viver em conformidade com o futuro governo anticristão, se alguém quiser ter sua vida normal, com suas necessidades básicas preenchidas, terá de aceitar a marca da besta (Ap 13.16-18). E também deverá adorar ao Anticristo. É fazer isto ou viver á margem da sociedade e ser perseguido e morto. Ninguém escapará. O Anticristo usará plenamente seus poderes ocultistas juntamente com seu ministro religioso, o Falso Profeta (Ap 13.11-16). A propósito: aquele que aceitar a marca do anticristo ou adorá-lo, não poderá mais ser salvo, estará irremediavelmente condenado ao lago de fogo (Ap 14.9,10,11).

Assim, é desta maneira que a Bíblia demonstra a realidade final da história da humanidade ímpia sobre o planeta. São insensatas utopias todas aquelas previsões de que o homem superará as crises sociais, econômicas, as guerras, os problemas do meio ambiente e conseguirá implementar uma era de paz e felicidade. Isto acontecerá somente quando Jesus Cristo voltar pela segunda vez. Antes disso, não haverá escape em toda a terra para as consequências terríveis do juízo divino que sobre todos os ímpios se abaterá. O próprio governo de Satanás no mundo, na pessoa do Anticristo, já em si constitui-se em juízo de Deus para os ímpios, além das pragas que Deus enviará como o livro de Apocalipse demonstra cabalmente.

Ainda há tempo de escapar do vindouro governo mundial. Se você está em Cristo, você está seguro eternamente. Nada há a temer. Porém, se ainda não entregaste teu coração a Ele, tenha cuidado porque o tempo para estes acontecimentos finais está muito próximo.

Por favor, te conclamo: Pense nisto!

quinta-feira, 11 de março de 2010

Porque será que Lula não protestou ?

Foram estapafúrdias as declarações do presidente Lula na entrevista à Associated Press nesta segunda, na qual o líder defendeu o "respeito" à justiça e governo cubanos afirmando ainda que "greve de fome não pode ser um pretexto dos direitos humanos para libertar as pessoas". "Imaginem se todos os bandidos presos em São Paulo fizerem um jejum para pedirem sua libertação", acrescentou Lula.

A oposição cubana tentou entregar uma carta a Lula às vésperas da visita do presidente a Havana em fevereiro, onde pedem que Lula interceda principalmente por Orlando Zapata Tamayo que morreu um dia antes de sua chegada ao país. O porta-voz da Presidência Marcelo Baumbach confirmou em entrevista que a carta já foi recebida mas ainda não foi repassada ao presidente. O mesmo indicou que o Brasil é regido pelo princípio de não-ingerência em assuntos internos de outros países e que é esse princípio que guiará a reação do presidente Lula no caso.

No Congresso, nesta quarta feira dia 10, oposição tentou aprovar uma moção de censura pela falta de liberdades na ilha, vetada pela maioria governista. Porém, em uma segunda tentativa, hoje, dia 11, a Comissão de Relações Exteriores do Senado Brasileiro aprovou o “voto de solidariedade” contra os presos cubanos. A moção em favor dos presos políticos foi apresentada pelo senador Artur Virgílio do PSDB que qualificou de “deploráveis” as declarações de Lula.

O que podemos dizer de tudo isto? De que Lula é simpatizante de governos ditatoriais. Foi exatamente isto que declarou o senador Artur Virgílio ao subir à tribuna do senado hoje e classificar o atual governo “parceiro e protetor de ditaduras”. Lula conseguiu, segundo o senador, construir uma boa imagem do Brasil junto à comunidade internacional, mas coloca por terra esta imagem ao manter a postura de amigo de ditadores.

Evo Morales, Hugo Chávez, Mahmoud Ahmedinejad, são exemplos de governantes aos quais o atual presidente cultiva boas relações. E é em nome dessas “boas relações” que são feitas vistas grossas às violações dos direitos humanos que esses governantes promovem em seus respectivos países. Lula não se posiciona contra e isto é intolerável. A simpatia que Lula nutre por esses governantes deveria ficar no nível pessoal apenas, sendo que ele, como representante de um país que se diz democrático, deveria postar-se a favor das liberdades pessoais porque isto fica acima de quaisquer amizades que ele possa ter.

Lamentável que Lula arranhe sua biografia desta forma. Mas não é de se espantar que isto assim seja. Sabemos através da Palavra de Deus o que é dito sobre os homens destes últimos tempos (2 Tm 3.1-5). Eles preferem agir desta forma, porque são egoístas e preferem escolher seus próprios interesses escusos a dar lugar à verdadeira justiça. O governo cubano é ditatorial, violento, perseguidor dos que se opõem e assassino e isto há 50 anos, desde 1959 portanto. Que Deus tenha misericórdia do povo cubano.

É necessário que protestemos de forma veemente contra a ditadura castrista em Cuba. Digamos um alto e sonoro “NÃO” contra este governo perseguidor e tirano que ainda ilude e atrai muitas pessoas como nosso presidente que parecem curtir uma espécie de romantismo em relação à “revolução” cubana. Que revolução é essa que mantém o povo na miséria quase absoluta enquanto a elite comunista tem acesso a bens enquanto os seus compatriotas enfrentam uma tremenda falta de produtos básicos para sua sobrevivência? A repetição de que a saúde cubana é excelente não passa de uma lenda. Que medicina é essa se faltam os remédios mais básicos? E que reais contribuições deu Cuba às ciências médicas? E não vamos atribuir tudo isto somente ao embargo econômico norte-americano, por favor! Yoani Sánchez falando sobre a "grande medicina de Cuba" em seu blog http://desdecuba.com/generaciony/

Quando um doente é internado, todos os seus familiares migram para o hospital. Precisam levar tudo: roupa de cama, ventilador, balde para dar banho no paciente e descarregar a privada, travesseiro, toalha, desinfetante para limpar o banheiro e inseticida para as baratas. Eles não devem esquecer também os remédios, a gaze, o algodão e, dependendo do caso, a agulha e o fio de sutura

Sobre a expectativa de vida:

É uma estatística oficial, sem comprovação, que não resistiria a um questionamento mínimo.. Pelo que vejo nas ruas, é difícil acreditar que os cubanos possam sobreviver tantos anos. Os idosos estão em estado deplorável e nunca se falou do número de suicídios, um dos mais altos do mundo.

Sobre a educação:

Em cada sala de aula existem seis fotos de Fidel Castro. Não se sabe o que acontece no resto do mundo. As cartilhas usadas na alfabetização só falam da guerrilha em Sierra Maestra...Tudo o que se ensina nas escolas é o marxismo, o leninismo,

É preciso mais dizer que as declarações de Lula foram de uma infelicidade a toda prova?

Todavia, um tipo de governo como este, é somente uma caricatura do futuro governo mundial que surgirá (Ap 13.7). O Anticristo, em escala mundial, perseguirá e matará a todos os que se opuserem ao seu maléfico governo.

O que vemos hoje não só em Cuba, mas também na Venezuela, no Irã, na China, na Coréia do Norte e em outros países é somente o prenúncio do que ainda ocorrerá com maior intensidade e da qual ninguém escapará.

Oremos todos pela nação cubana e se acaso você ainda não se reconciliou com o Senhor, faça-o ainda hoje. A porta da graça ainda está aberta (Mt 11.28-30). O Senhor é a nossa esperança. Pense nisto.


segunda-feira, 8 de março de 2010

E Deus fez a mulher…..

Hoje, Dia Internacional da Mulher, estimula-nos a que nós homens pensemos com um pouco mais de propriedade acerca deste ser tão sublime e maravilhoso que é a mulher e sobre a bondade de Deus em criá-la.

Adão de fato não poderia permanecer sozinho naquele agradável e belo jardim. Com quem haveria de compartilhar tanta beleza e sublimidade, com quem haveria de comentar acerca da bondade de Deus em lhes criar e permitir viver naquele idílico lugar? Somente com alguém semelhante a si mesmo, alguém que, usufruísse de seus mesmos atributos de vontade, de intelecto e de sentimentos. Que apreciasse a obra do Criador como ele, Adão apreciava. Que fosse a companhia para tantos e agradáveis dias que aquele lugar inimaginável poderia lhes proporcionar.

Penso que a perfeição do ambiente era por demais apropriada para acomodar aquele primeiro grupo humano: um homem e uma mulher. Tão iguais, mas ao mesmo tempo tão diferentes. E era uma diferenciação que, longe de estimular alguma hostilidade, fazia com que se atraíssem, se aproximassem, porque esta diferença os unia com uma força, com uma tenacidade, graciosamente entrelaçando-se nos braços um do outro e gradualmente percebendo que suas diferenciações anatômicas era motivo para um prazeroso encontro.

Homens, só devemos glorificar ao Senhor por tão sublime ser. Por permitir que ela seja nossa primeira companheira, ideal amiga e inseparável amante. Por ser abnegada mãe de outros seres humanos. Quando crianças, a mulher que temos por perto é nossa mãe e quando crescemos e naturalmente procuramos ter nossa independência pessoal, logo estaremos às voltas com outra figura feminina que poderá ser nossa futura esposa. Nossa mulher. Nossa Eva. Afinal, o Senhor mesmo disse: “Não é bom que o homem esteja só” (Gn 2.18a).

Será que o pecado, o mundo, Satanás, haverão de mudar esta maravilhosa ordem estabelecida por Deus? Isto porque o papel feminino hoje está invertido. Está decadente. Horrivelmente vemos caricaturas do que deveria ser a maior preciosidade para nós homens. Porém, muitos homens (e mulheres) pervertidamente tem procurado explorar a mulher de todas as formas possíveis. A alma feminina está profundamente ferida nestes nossos dias. O homem hodierno não tem dignificado aquela que deveria estar sempre ao seu lado em um companheirismo constante e frutificador para todos os outros homens e mulheres da combalida sociedade humana.

Cremos, como cristãos obedientes à Revelação de Deus, de que Jesus Cristo veio e dignificou a mulher, reconduzindo-a por meio do Evangelho, ao seu lugar estabelecido por Deus. Quando a mulher não está neste lugar, ela se desumaniza, se auto-desrespeita, ela se torna capacho de homens sem o temor de Deus. Idealmente a Igreja de Jesus deve ensinar, deve educar, naquilo em que a Bíblia demonstra sobre a postura de um homem e de uma mulher agora salvos por meio do Evangelho e que estão a cada dia sendo transformados pelo Espírito Santo (2 Co 3.18; Fp 1.6).

Salvos pela graça, unidos pela graça, criados pela graça de Deus. Tudo isto Deus fez em prol do homem. E da mulher. Para nós homens, depois da dádiva da salvação proporcionada pelo Senhor, acredito que devemos colocar logo a seguir como a segunda dádiva mais preciosa, a mulher. Quer seja esposa ou mãe. A mulher é de fato uma benção de Deus.

Você, companheiro, pode pensar assim também?

quinta-feira, 4 de março de 2010

O cristão autêntico cuida também de seu corpo

Não se sinta culpado se você é mais um cristão que somente cuida de sua parte espiritual e não está nem aí para o seu corpo físico. Esta mentalidade nos foi repassada por culpa da influência do pensamento grego no labor teológico da Igreja cristã. Como a maioria de nós não atenta ao real sentido do que realmente está escrito nas Sagradas Escrituras do AT e NT, devemos tentar um esclarecimento até porque o autor deste blog não poderia fazê-lo de outra maneira.

A visão que a Bíblia tem do ser humano é de caráter integral. Tanto o espírito como a alma e o corpo, são tidos como inseparáveis (1 Ts 5.23; Hb 4.12). Quando a Bíblia reporta-se ao ser humano em si, é sempre na sua integralidade tricotõmica. A ressurreição é gloriosa porque voltará a parte espiritual do ser humano a unir-se com sua parte física totalmente restaurada, para aqueles que morreram em Cristo (1 Co 15; 1Ts 4.16). Quando da criação do mundo e do homem, Deus disse ao final que tudo era muito bom (Gn 1.31), inclusive o homem e seu corpo físico.

Por isso é algo destoante com o testemunho das Escrituras, aqueles que querem execrar o corpo humano e num acesso de pseudo-espiritualidade, alegarem que o crente deve somente cuidar de sua alma. Certo é que o apóstolo Paulo afirmou: Porque o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa, tendo a promessa da vida presente e da que há de vir” (1Tm 4.8). Mas o mesmo Paulo citou os esportes praticados no mundo greco-romano para ilustrar a vida cristã (1 Co 9.24-27). Pelo menos aí dois esportes são citados, a corrida e o pugilato. Paulo não via na realidade, nenhuma contradição entre a vida de oração, de jejum, de leitura e meditação nas Escrituras, com a prática de alguma atividade física. Ele não disse em 1 Tm 4.8 de que o exercício corporal para nada aproveita, sempre há algum proveito para a saúde corporal o realizar atividades físicas com moderação e regularidade.

Os homens e mulheres da Bíblia eram, via de regra, pessoas com excelentes condições físicas. Isto porque realizavam muito trabalho manual e andavam longas distâncias. Podemos verificar isto no próprio ministério de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele e seus discípulos percorriam toda Judéia, Samaria e Galiléia a pé (Mt 9.35).

O corpo humano é uma maravilha saída das mãos do Criador e que deve ser cuidado sempre. Temos a revelação de Deus para nos dizer de que o meu e o seu corpo é templo do Espírito Santo (1 Co 3.16,17; 6.19,20). Só isto já bastaria para deixarmos toda pseudo-espiritualidade ou reflexão teológica contrária à verdadeira natureza humana como revelada na Bíblia. Myer Pearlman menciona o fato de que os filósofos pagãos falavam do corpo com desprezo, considerando-o um estorvo à alma e almejavam o dia quando a alma estaria livre das suas complicadas e enredosas roupagens. Mas o livro de Levítico, observa Pearlman, contém muitas leis que governavam a vida física dos israelitas a fim de ensiná-los de que o corpo, como instrumento da alma, deve conservar-se forte e santo.

A administração ou mordomia de nossos corpos está implícita na Bíblia. Paulo disse em 1 Co 3.17: Se alguém destruir o templo (corpo humano) de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus que sois vós, é santo.” Há muitas maneiras de se destruir o templo de Deus: falta de exercício físico adequado, comida em excesso e de má qualidade, passar noites em claro continuamente, vícios como cigarro ou drogas, e outros. Além desta imagem bíblica do corpo humano como templo de Deus, vemos também em 2 Co 5.1-10 o corpo como nosso tabernáculo, nossa casa, nossa tenda, onde a alma, qual peregrina no dizer de Pearlman, mora durante sua viagem do tempo para a eternidade. À morte, desarma-se a tenda e a alma parte (2 Pe 1.13,14).

A Bíblia diz: Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus” (1 Co 10.31). O cuidar do corpo por meio da atividade física é algo que glorifica ao Senhor. Quando Paulo em Romanos 12.1 diz que devemos apresentar nossos corpos a Deus como sacrifício vivo, santo e agradável, não está falando de alguma espécie de substância espiritual. Ele está falando de algo material, tangível como bem deixa transparecer o termo grego soma.

Se você já pratica alguma atividade física, parabéns. Você é um crente que cuida de sua vida com Deus em sua integralidade. Mas, se escrevo para alguém que repudia a ideia de exercitar-se fisicamente ou, não tem a mínima vontade de fazê-lo, peça a Deus graça porque seu corpo é obra de Deus e como tal deve ser bem cuidado. Salvo por motivo de doença incapacitante, acredito que todo o filho de Deus deve dar atenção ao seu corpo para promover sua saúde, até porque na maior parte das vezes não nos alimentamos com comida realmente saudável e por isso é grande a quantidade de pessoas obesas, muito acima de um peso corporal saudável, pessoas estas que podem vir a contrair uma série de doenças como diabetes, hipertensão e problemas cardíacos.

Seja um cristão autêntico, tenha qualidade de vida em Jesus não só para sua alma mas também para seu corpo. Pense nisto!

segunda-feira, 1 de março de 2010

Reflexões sobre os 59 primeiros dias de 2010

Ontem completaram-se 59 dias do ano de 2010. O que você acha que mais teve destaque nos noticiários? Sem nenhuma dúvida foram os desastres na natureza. Não só no Brasil como também em outros lugares do mundo. O que está ocorrendo na natureza em todas as latitudes ao redor do globo fala altissonantemente para todos nós o que já sabemos: Jesus Cristo brevemente voltará!

O que para todo verdadeiro cristão, nascido de novo, lavado e regenerado pelo Espírito Santo, constitui-se em sua esperança, o clímax de sua vida de fé, a consumação de sua salvação, a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, para aqueles que ainda verdadeiramente não conhecem Sua salvação será um dia de lamento e desespero porque constatarão, mui tardiamente o que todos os dias eles ouvem hoje de que Jesus Cristo morreu pelos seus pecados!

As convulsões naturais cumprem as profecias bíblicas que não só os profetas do AT vaticinaram mas também o próprio Senhor Jesus proclamou em Seu ministério.

Infelizmente, muitas pessoas ainda não despertaram para a realidade do que anunciamos: Estamos de fato nos últimos dias e o pecado do homem aumenta e aumentará cada vez mais. Mas Deus deseja salvar a todos por meio d’Aquele que morreu e ressuscitou, Seu Filho Jesus Cristo!

Não se pode absolutamente negar o fato de que as catástrofes naturais tem aumentado em sua proporção. Muitos terremotos de grande magnitude, furacões arrasadores, chuvas com enchentes destruidoras que fazem lembrar o Dilúvio bíblico, calor intenso ou inverno com nevascas intensas. Tudo isso aconteceu nestes 59 primeiros dias do ano de 2010. Obviamente já haviam ocorrido muitos eventos como por exemplo o tsunami na Ásia no final de 2004. Nestes 59 primeiros dias tivemos uma constância no noticiário tanto local como internacional de eventos naturais que causaram morte e destruição. As nevascas nos Estados Unidos e na Europa foram muito intensas. Para fechar o período tivemos este grande terremoto no Chile de magnitude 8.8, sendo 900 vezes mais poderoso que o terremoto que arrasou o Haiti em janeiro.

E no Brasil tivemos a tragédia das avalanches em Angra dos Reis provocada pelas chuvas intensas e outras cidades, principalmente no estado de São Paulo que foram grandemente afetadas. A cidade de São Paulo sofreu mais de 45 dias de chuvas ininterruptas que fizeram com que o paulistano convivesse com algo que não faz parte de seu cotidiano: botes e canoas para salvar as pessoas isoladas por causa da violência das enchentes.

Sendo assim, não posso concordar com os naturalistas que tudo atribuem a fenômenos de ocorrência cíclica. Acredito piamente no que diz a Palavra de Deus. Ali, Deus solenemente anuncia as coisas que acontecerão a esta terra. O profeta Sofonias cap 1 vs 2 e 3: ”Hei de consumir por completo tudo de sobre a terra, diz o SENHOR. Consumirei os homens e os animais, consumirei as aves do céu, e os peixes do mar, e os tropeços juntamente com os ímpios; e exterminarei os homens de sobre a terra, diz o SENHOR.”

E ainda mais nos versos 14 a 18 e o cap 3 vs 6: O grande dia do SENHOR está perto, sim, está perto, e se apressa muito; amarga é a voz do dia do SENHOR; clamará ali o poderoso. Aquele dia será um dia de indignação, dia de tribulação e angústia, dia de alvoroço e de assolação, dia de trevas e de escuridão, dia de nuvens e de densas trevas, dia de trombeta e de alarido contra as cidades fortificadas e contra as torres altas. E angustiarei os homens, que andarão como cegos, porque pecaram contra o SENHOR; e o seu sangue se derramará como pó, e a sua carne será como esterco. Nem a sua prata nem o seu ouro os poderá livrar no dia da indignação do SENHOR, mas pelo fogo do seu zelo toda esta terra será consumida, porque certamente fará de todos os moradores da terra uma destruição total e apressada. Exterminei as nações, as suas torres estão assoladas; fiz desertas as suas praças, a ponto de não ficar quem passe por elas; as suas cidades foram destruídas, até não ficar ninguém, até não haver quem as habite.” Que cenário de tremenda desolação.....

Como o próprio Senhor Jesus nos disse, isto que já está acontecendo com o clima (para não falar da violência, das guerras, das epidemias) é só o princípio das dores. Cremos que Deus soltará a represa de sua ira e indignação exatamente no período da Grande Tribulação sobre todos os pecadores que rebeldemente se mantém distantes d’Aquele que por todos nós morreu e ressuscitou. O que está descrito em Sofonias e nos outros profetas demonstra o que acontecerá a esta terra e aos seus impenitentes moradores que sofrerão o julgamento de Deus.

O que nos reservará a continuidade deste ano? Apenas quero lembrar que o Senhor, apesar das promessas de derramamento de ira e indignação sobre os ímpios, deseja acima de tudo salvá-los. Está escrito em Ezequiel 18.23 e 32 e em 2 Pedro : Desejaria eu, de qualquer maneira, a morte do ímpio? Diz o Senhor Deus; Não desejo antes que se converta dos seus caminhos e viva? Porque não tenho prazer na morte do que morre, diz o Senhor Deus; convertei-vos pois e vivei.” “O Senhor não retarda sua promessa, ainda que alguns a tem por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.”

Assim, temos bem assentada pela Bíblia a vontade de Deus. Devemos atentar para o fato de que estes acontecimentos todos devem levar o homem ao arrependimento. No próprio livro de Apocalipse é demonstrada a oportunidade que o homem terá, mesmo em meio aos grandes sofrimentos que Deus infligirá a este planeta, de arrepender-se de seus pecados (Ap 9.20,21; 16.9,11), muito embora os textos deem a entender que não se arrependerão.

Hoje é dia aceitável. Ainda hoje você, que ainda não conhece a Jesus como seu Único e suficiente Salvador, pode arrepender-se de seus pecados e receber a Cristo em sua vida. E quanto a você que já serve ao Senhor mas anda um tanto quanto desanimado com problemas vários, saiba que o Senhor, o Poderoso de Israel é o que te fortalece (Is 40.29-31).

Passaram-se os 59 primeiros dias deste ano. Aproveite para fazer uma avaliação em sua vida (2 Co 13.5). Os dias passam, breve Cristo voltará. Por favor, pense nisto!