sábado, 18 de fevereiro de 2012

O inimigo sabe quem é você?

"E Deus pelas mãos de Paulo fazia maravilhas extraordinárias. De sorte que até os lenços e aventais se levavam do seu corpo aos enfermos, e as enfermidades fugiam deles, e os espíritos malignos saíam. E alguns dos exorcistas judeus ambulantes tentavam invocar o nome do Senhor Jesus sobre os que tinham espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por Jesus a quem Paulo prega. E os que faziam isto eram sete filhos de Ceva, judeu, principal dos sacerdotes. Respondendo, porém, o espírito maligno disse: Conheço a Jesus, e bem sei quem é Paulo; mas vós quem sois? E, saltando neles o homem que tinha o espírito maligno, e assenhoreando-se de todos, pôde mais do que eles; de tal maneira que, nus e feridos, fugiram daquela casa. E foi isto notório a todos os que habitavam em Éfeso, tanto judeus como gregos; e caiu temor sobre todos eles, e o nome do Senhor Jesus era engrandecido" Atos 19.11-17.

Interessante ler esta passagem e pensar em algo bem nítido: O inimigo de nossas almas reconhecia a autoridade de Jesus, naturalmente, bem como a autoridade que o Senhor conferira ao seu servo, o apóstolo Paulo. Mas o espírito maligno não reconheceu autoridade alguma naqueles que tentavam expulsá-lo em nome de Jesus a quem Paulo pregava!

E quanto a mim? E quanto a você? Como será que estamos sendo reconhecidos no mundo espiritual diante desta passagem bíblica? Como os principados e potestades, os dominadores deste mundo tenebroso e as forças espirituais da maldade veem a mim e veem a você? Teremos a autoridade emanada de Jesus Cristo, que Paulo possuía e foi prontamente citada e reconhecida pelo espírito mau, ou o maligno ainda não reconhece quem nós somos?

O grande exemplo do apóstolo Paulo serve de balizamento para nossas considerações. Levava ele a efeito um ministério extraordinário na cidade de Éfeso e o texto diz que até mesmo objetos de seu uso pessoal Deus usava para operar milagres de cura. E também os demônios batiam em retirada sumariamente ante tão grande demonstração do poder divino. Porque isto acontecia? Porque Paulo era um servo de Deus, convertido a Jesus Cristo e cumpria a Grande Comissão ordenada pelo Senhor, indo por toda Ásia Menor, Grécia e Macedônia pregando o Evangelho junto com seus companheiros (At 19.1). 

Ele era um autêntico servo de Jesus Cristo, estava pregando com autoridade por toda parte o Reino de Deus, desafiando o reino das trevas com poder e diante disto, os demônios não podiam resistir-lhe, tinham de sair (At 13.4-12; 16.16-18). Paulo em seu ministério, de forma gloriosa, dava continuidade ao que Jesus mesmo fez quando confrontou os demônios e estes tinham de sair dos corpos das pessoas sumariamente.

Quando desta forma um servo de Jesus Cristo, quer seja novo na fé ou já possua alguns anos de "estrada", serve ao Senhor, de forma completamente autêntica e dedicada como fazia Paulo, não há razão para que o inimigo não reconheça sua autoridade (obviamente emanada de Cristo Jesus) e seja completamente expulso das vidas que domina e escraviza.

Há poder em todo servo de Jesus Cristo? Há legitimidade nele para confrontar o Maligno, poder para se lhe opor, poder para expulsá-lo e até curar enfermidades, mesmo que causadas pelo diabo? Sim, mas tornamos a ressalvar que o cristão tem de andar com autenticidade diante do Senhor, porque ele está sendo visto pelo mundo espiritual, isto é, anjos de Deus e os demônios observam o crente em todo o tempo. Deveríamos aprender de uma vez por todas que: 1) AGORA somos filhos de Deus (1Jo 3.2);  2) Fomos vivificados (nascemos de novo) e ressuscitados por Deus que nos fez ASSENTAR JUNTAMENTE COM CRISTO nos lugares celestiais (Ef 2.4-6);  3) Jesus conferiu PODER aos doze discípulos e por extensão a nós também para serem expulsos os espíritos imundos e para serem curadas toda enfermidade e todo mal (Mt 10.1,8; Mc 3.14,15; 6.7; 16.17,18).

A Bíblia diz-nos ainda que devemos resistir ao diabo (Tg 4.7; 1Pe 5.8,9). E resistir a Satanás e suas hostes significa que nos submeteremos ativamente a Deus e nos colocaremos contra Satanás e toda sua obra contra nós e contra a vida de outros completamente firmados na fé em Jesus Cristo. 

Também devemos estar cheios do Espírito Santo, como era usual nos primeiros cristãos  (At 2.4; 4.8,31; 6.5,55; 11.24; 13.9). A posição de vitória do crente inclui esta obra ativa do bendito Consolador em nossas vidas.

Não podemos esquecer que a morte de Cristo, o derramamento de Seu precioso sangue no Calvário, significou tremenda derrota para Satanás e suas hostes (Cl 2.15; Hb 2.14,15). A vitória contra o diabo está portanto garantida pela obra consumada na cruz e nada temos a temer nessa luta.

A Palavra de Deus deixa-nos ainda a recomendação de que devemos nessa batalha, estar revestidos da armadura divina. A recomendação é de que nos fortaleçamos no Senhor e na força do Seu poder (Ef 6.10).  Nos versos seguintes, o apóstolo Paulo vai discorrer sobre os componentes desta armadura, não sem antes deixar claro o fato de nossa luta não é contra pessoas de carne e osso, não é contra nossos semelhantes, nossa luta é espiritual, é contra Satanás e seus demônios (v.12).

Ora, voltemos a refletir sobre a pergunta: "O inimigo sabe quem é você?" Ele saberá, e temerá, se andarmos como Jesus a exemplo do que fez Paulo, a ponto de ele exortar: "Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados" (Ef 5.1). Ele mesmo imitou ao Senhor e andava bem próximo a Ele. Não havia como o inimigo deixar de reconhecer isso e capitular diante da autoridade que Paulo demonstrava em virtude dessa união com Cristo.

Os exorcistas ambulantes tentaram pateticamente fazer uso do nome de Jesus. Havia grupos desses elementos naquela época, segundo o historiador judeu Flávio Josefo, que exerciam sua atividade de expulsão de demônios, mas isso era feito pelo próprio poder a eles conferido pelo diabo, porque como existe uma hierarquia entre as hostes do mal (Ef 6.12), até certa medida poderes demoníacos podem expulsar outros poderes demoníacos como disse Jesus (Mt 12.27), embora, como disse também o Senhor "uma casa dividida contra si mesma não subsistirá" (vv.25,26). Então, aqueles homens tentaram exercer sua atividade sendo que desta feita usando o nome de Jesus. Como não eram autênticos seguidores do Mestre, como Paulo e seus companheiros eram, o espírito maligno não reconheceu autoridade alguma neles, mesmo usando o nome de Cristo. Eles não conheciam a Jesus, não eram nascidos de novo, eram ímpios e tentaram usar o nome de Jesus como se esse nome em si contivesse poderes mágicos. Ficaram envergonhados e frustrados pois o demônio disse que não lhes atribuía autoridade alguma e foram surrados impiedosamente pelo endemoninhado e tiveram de fugir envergonhados.

Que isto sirva de alerta a todos os que seguem a Jesus Cristo. Temos sim autoridade no Senhor. Mas esta autoridade só estará legitimada "se andarmos na luz como ele na luz está" (1Jo 1.7). 

E então? Qual a informação que o inimigo tem a seu respeito? O que sabe ele sobre você? Reconhece ele no presente momento a autoridade que você possui em Jesus Cristo ou não?

Já considerou isto seriamente? Então é hora de fazê-lo. Pense nisso.


7 comentários:

  1. Muito bom texto e reflexão..parabéns,irmão.Soli Deo Glória!

    ResponderExcluir
  2. Boa coisa para se pensar... para se refletir.

    "se andarmos na luz como ele na luz está" (1Jo 1.7).


    Eis a questão! Fundamental é andar na luz!! Que Deus nos ajude !!!Gostei muito Cícero,abçs

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Renato por seu comentário e pelo seu também Solange, que Deus muito vos abençoe!

    ResponderExcluir
  4. Me fez refletir sobre a minha chamada e a maneira que eu tenho vivido.
    O espiríto Santo me levou ao evangelho de joão cap 15:07.
    Muito eficaz, Continue sendo luz meu irmão... e arrancará almas das trevas para o reino da divina luz.

    ResponderExcluir
  5. Que bom saber que meu texto ajudou você de alguma forma amigo e irmão, Deus possa abençoar sua vida e seu ministério continuamente, um abraço!

    ResponderExcluir
  6. Quando recebemos o Senhor Jesus, passamos a viver em novidade de vida e as coisas velhas ficam para trás, ou melhor enterramos a nossa velha criatura, e o diabo fica ao nosso derredor, esperando a quem possa tragar.

    Mais os cristãos que quiserem viver verdadeiramente o Evangelho na prática, serão conhecidos do diabo, e o resultado é perseguição,etc... pois incomodam com seu testemunho, a obra maligna que ele (o diabo) realiza com maestria aqui neste mundo.

    Precisamos usar da autoridade que o Senhor Jesus nos concedeu para desfazer as suas más obras para que a graça e o amor de Deus prevaleça na vida daqueles que estão cativos e aprisionados pelo deus desse século.

    Tenho vivido na prática essa perseguição, e confesso que não é fácil. Mas como sempre, a minha opinião não vale nada! e eu fico com o que a Palavra de Deus que nos diz:

    Bem aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós.
    Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós.
    Mateus 5. 11-12

    em Cristo,

    ***Lucy***

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém Lucy, que Deus continue lhe concedendo ainda mais de Sua graça e de Seu amor de forma contínua. Fica na Paz do Senhor!

      Cicero

      Excluir