segunda-feira, 29 de março de 2010

O evidente fator demoníaco nas religiões humanas

O Cristianismo, em sua proclamação, afirma que somente em Jesus Cristo o homem encontra a salvação e seu caminho para encontrar a Deus: E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”; “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (At 4.12; Jo 14.6). Dito isto, temos a base segura para nos assegurarmos de que em qualquer outra expressão de fé que não seja baseada em Jesus Cristo e no conteúdo do Evangelho, não logrará o homem salvação de qualquer forma.

Os principados (gr.“archai”) e as potestades (gr.”eksousia”) agem contra a vontade revelada por Deus para o homem por meio do Evangelho (Ef 1.3-23). Desta maneira, todos os sistemas religiosos são de evidente inspiração demoníaca. São poderes sobre-humanos (ou seja, demônios) que se encontram em rebeldia contra Deus. São vontades pervertidas, autônomas, que insistem em contrariar o plano de Deus para o homem. E governando sobre estes poderes está o antigo querubim da guarda ungido, agora príncipe das potestades do ar, Satanás (Ez 28.11-19; Ef 2.2).

Este fator demoníaco nas religiões ao redor do mundo, tem pelo menos quatro principais características, segundo Walter Freytag no livro New Age, A Nova Era á Luz do Evangelho (Edições Vida Nova e Editora e Livraria Esperança) que são:

1) Exercem domínio sobre o homem. Não só as evidências óbvias que nos confrontam com o fato, como a possessão demoníaca, falam disso; a própria religião em si domina o homem. É uma forma de domínio sobre o homem, a qual é diferente do senhorio de Cristo.

2) Possuem aparência do bem, mas apegam-se tenazmente ao mal. Em todas as religiões encontramos verdades. Nas religiões primitivas, principalmente em seus provérbios, encontramos muita sabedoria moral e conhecimento do bem. E principalmente nas grandes religiões encontramos inúmeras afirmações sobre o que é certo. Mas é interessante que este bem do qual temos conhecimento não é usado para nada mais do que se auto-confirmar; mais ainda, este conhecimento do bem é usado para esconder a própria falta de prática do bem.

3) Possuem um inerente poder. Realmente existe uma força. Tocamos aqui no fator da magia e feitiçaria. É um fato estranho que as pessoas na Europa e nos Estados Unidos geralmente vejam a feitiçaria como trapaça em todos os casos, não como uma verdadeira força. Bem, é claro que muito na feitiçaria pode ser trapaça. Mas o simples fato de missionários pioneiros relatarem o que feiticeiros falavam: “Desde que os missionários estão em nosso país, nossa magia perdeu sua força” – este fato talvez represente realmente mais do que algo que se possa explicar simplesmente como psicológico.

4) Vivem da força de Deus contra Deus. Esta é a característica mais profunda do fator demoníaco. Ele vive da força de Deus contra Deus. Pois o conhecimento do bem, com o qual o homem esconde o mal, vem-lhe de Deus. Também a magia, não seria ela, no fundo, a possibilidade e capacidade dada por Deus de formar, dominar e subjugar? Ambas estas coisas, o conhecimento do bem e esta capacidade, são empregadas contra Deus. Este é um fenômeno muito humano; é, em última análise a essência do pecado.

Afastar o homem do Deus verdadeiro, enganá-lo e acorrentá-lo ao pecado, são os objetivos principais de Satanás. O fascínio pela independência de seu Criador e poder viver como quiser, move continuamente o homem. Inspirados pelo príncipe deste mundo, os homens inventaram variadas maneiras de alçar a dimensão transcendente de sua existência à parte da revelação divina exarada na Bíblia. Quantos seres humanos estão hoje acorrentados a doutrinas estranhas ao Evangelho. E, infelizmente, dentro do próprio Cristianismo, heresias existem desde o nascimento da Igreja, num bem sucedido ardil do Maligno para corromper a essência da fé cristã. Tanto dentro como fora das fileiras do Cristianismo, uma rede de enganos foi urdida pelo diabo para manter as almas sob seu domínio. O trabalho de engano é milenar, começa no Éden, perdura ainda hoje e culminará na futura super religião mundial que surgirá no planeta durante a Grande Tribulação, sob o governo do Anticristo.

Não há como negar que existem coisas boas em outras religiões que não seja o Cristianismo. Mas isto está de acordo com o mestre de enganos, Satanás conforme lemos em 2 Co 11.13-15. E dentro da nossa própria fé, como tão bem deixa clara esta passagem, o diabo tem conseguido seu intento de corromper a puríssima doutrina do Senhor. Como Paulo também afirmou em 1 Tm 4.1-3, os espíritos de engano, demônios, estariam insuflando enganos nos corações e mentes de cristãos incautos, fazendo com que torcessem a sã doutrina e causando-lhes a apostasia da fé em Jesus.

Portanto, não só nas religiões não-cristãs evidencia-se o fator demoníaco, como também dentro das próprias fileiras da cristandade. O grande apóstolo Paulo alerta aos presbíteros da igreja de Éfeso, ao despedir-se deles em At 20.28-31: "Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue. Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós, lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho; E que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si. Portanto, vigiai, lembrando-vos de que durante três anos, não cessei, noite e dia, de admoestar com lágrimas a cada um de vós.”

A Bíblia fala que, Deus, em Cristo, libertou-nos do império das trevas (Cl 1.13), despojou os principados e potestades (Cl 2.15) e desfez as obras do diabo (1 Jo 3.8). O escritor aos Hebreus diz-nos ainda que Cristo pela sua morte, aniquilou o que tinha o império da morte, isto é, o diabo e livrou a todos que, com medo da morte, estavam por toda vida sujeitos à servidão de Satanás e seus demônios (Hb 2.14,15). Assim, o fator demoníaco existente nas religiões já está derrotado pela obra consumada de Jesus Cristo na cruz do Calvário. O crente não deve em hipótese alguma temer as asseverações das outras religiões, porque são mentirosas, inspiradas que são pelo pai da mentira (Jo 8.44). A Igreja deve avançar para a conquista de almas, ajudando-as a libertarem-se do cativeiro do engano do pecado e do diabo, pregando a eterna verdade do Evangelho para essas pessoas.

Jesus já conquistou a vitória. Mas as potestades do mal e seu chefe ainda tem permissão de agir no mundo, cumprindo os propósitos de Deus, porque tudo está sob seu soberano controle. Mas, o Deus de paz em breve esmagará a Satanás debaixo de vossos pés” (Rm 16.20).

Pense nisto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário