sábado, 21 de abril de 2012

Melhor a casa onde há luto do que a casa onde há festa....

No livro de Eclesiastes capítulo 7 versículo 2 encontra-se esta frase que uso como título para esta reflexão. Em continuidade, o escritor diz que ali, na casa do luto, se vê o fim de todos os homens e os vivos o aplicam ao seu coração. Gosto como a NVI (Nova Versão Internacional) verte a passagem, é assim: "É melhor ir a uma casa onde há luto do que a uma casa em festa, pois a morte é o destino de todos; os vivos devem levar isso a sério!" 

Havia ido a um determinado local e ao voltar para casa, estando dentro do ônibus eu contemplei algo interessante. Já passara várias e várias vezes por aquele trecho do trajeto, mas hoje me chamou a atenção algo que nunca realmente percebera: estão há poucos metros uma da outra a casa onde há luto - um hospital, da casa onde há uma festa - no caso, uma danceteria!

Fiquei a pensar sobre esse paradoxo. De que no mesmo instante onde várias pessoas, predominantemente jovens de 20 e tantos anos estarão alegres, dançando, bebendo, flertando e se divertindo, estarão na festa, enfim, há poucos metros, (na verdade, é quase de frente à danceteria o estacionamento e o pronto-socorro do hospital) estarão outras tantas pessoas acamadas, feridas ou doentes gravemente e padecendo muitas dores, tristes, algumas até desesperadas e outras infelizmente que irão falecer, seus parentes e amigos chorando inconsoláveis, aí está a casa do luto.  

Não acredito que as pessoas que estiverem no ambiente frenético e luxuriante de uma danceteria estejam pensando no ambiente lúgubre e indesejável de um hospital. Também acho que os que aqui estão, lutando pela sua sobrevivência, caso estejam conscientes e não inertes, cheio de tubos numa sala de UTI, estejam pensando  nos agitos de uma festa. Geralmente estes estarão inclinados a pensar em coisas mais elevadas, mais profundas e significantes: em sua vida, em sua família e em DEUS!

Os frequentadores de uma danceteria, por exemplo, logicamente que ali estão para satisfazer seus apetites carnais, dão vazão aos valores de sua vida egocêntrica e vazia e DEUS geralmente para eles está bem longe. 

Aqui está portanto a sabedoria do que escreveu Salomão em Eclesiastes. Se estivermos num ambiente  mundano, festivo, alegre, dificilmente vamos pensar nas coisas mais importantes que todos deveríamos levar em consideração. Na casa da alegria mundana, o que impera é a frivolidade e a carnalidade. Todos nós nos tornamos seres humanos melhores e colocamos nossa vida na devida perspectiva diante do Senhor Deus quando estamos na casa do luto. Prova disso é o que Salomão ainda escreve nos versos seguintes: "A tristeza é melhor do que o riso, porque o rosto triste melhora o coração. O coração do sábio está na casa onde há luto, mas o do tolo, na casa da alegria" (vv. 3,4). 

Fiquei a refletir sobre esses fatos hoje. Uma danceteria e um hospital. Tão perto um do outro, porém com   ambiências, sentimentos e pessoas tão diferentes. Na primeira predomina o riso. Na segunda, certamente o choro. Na primeira a prioridade é o EU. Na segunda, na maior parte das vezes, o eu é esquecido e o indivíduo se lembra do grande EU SOU (Êx 3.14) e passa a buscá-Lo. 

O que pensei comigo também é de como as situações na vida são efêmeras. Num instante em que se está na casa da alegria, pode-se passar no instante seguinte, devido a variadas circunstâncias, para a casa do luto. Num momento em que a aparente felicidade está em seu auge, a verdadeira realidade da existência humana predomina e a pessoa é precipitada para um estado onde ela poderá até encontrar-se com o Senhor e mudar sua vida para melhor.

Este é o desejo do coração do Pai. O que Ele deseja para cada ser humano desse mundo é que todos O conheçam (Ez 18.31,32; 2Pe 3.9). Que todos venham a deixar sua vida frívola, egocentrada, pecaminosa e que se arrependam de todos os seus pecados e recebam a purificação pelo precioso sangue de Seu Filho, Jesus Cristo. 

Em Seu amor, em Seus insondáveis desígnios, poderá você que está hoje na casa da alegria, de repente passar para a casa do luto. Todavia, meu conselho é de que você não fique ao sabor das circunstâncias, mas que você decisivamente possa crer em Cristo e assim passar a ter uma alegria genuína. Estar na casa do luto significará dores, tristeza e choro. Isso poderá ser bom para sua vida mas ninguém em sã consciência quer passar pelo "vale da sombra da morte" (Sl 23.4). Todavia, alguém poderá estar na casa do luto (que tanto pode ser um hospital como um cemitério) por ter um parente ou amigo ali e isto o levará, como disse o rei Salomão a nos lembrarmos de que um dia também vamos morrer, em face disso, a tristeza  pode nos sobrevir e fazer nosso rosto ficar abatido, mas nosso coração ficará mais compreensivo em relação à verdadeira realidade e finalmente atentaremos para o fato de que viver para si mesmo, viver para se divertir somente é viver de maneira tola e ser sábio é pensar também na morte, ou seja, de que invariavelmente este dia chegará.

Assim, considere diante do Senhor a sua vida e procure atentar para a validade do que diz a Palavra de Deus. Ela nos garante um porvir feliz, uma eternidade de plena felicidade, ainda que estejamos passando por provas difíceis aqui. Muitos vivem nessa vida como o rico que Jesus citou em seu ensinamento (Lc 16.19-31) que vivia todos os dias "regalada e esplendidamente" enquanto o mendigo Lázaro jazia cheio de feridas à porta daquele. Por viver em sua alegria mundana, sem atentar para Deus e Sua Palavra e sem atentar para seu semelhante, vivendo de si para si mesmo, foi para a eternidade em estado de perdição, enquanto Lázaro, que apesar de sua pobreza e mendicância era temente ao Senhor, foi para uma eternidade de delícias onde já se encontravam os justos de outrora como o patriarca Abraão (Lc 16.22).

Meu amigo, minha amiga, se você chegou até aqui, que tal pensar muito em tudo o que leu? Deus te abençoe ricamente.








4 comentários:

  1. Excelente texto, meu amigo. Gostei da reflexão. Na verdade, hoje a blogosfera cristã é um espaço para muitas reflexões, e isso é muito positivo. Porém sempre temos que nos lembrar da importância de estarmos em silêncio diante do Pai, isto é, desconectados de tudo que a vida virtual possa nos oferecer, e dedicarmos um tempo a sós com Deus em oração e leitura-meditação nas Sagradas Escrituras. Nada pode substituir nossa devocionalidade diária com o Pai, e mesmo assim precisamos estar constantemente nos recordando da efemeridade dessa vida, e que a nossa pátria mesmo é a Pátria Celeste! Que a possamos estar a cada dia mais e mais preparados para a chegada deste Reino, e ainda, anunciando aos quatro ventos que ele está próximo. Maranata!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Andre por seu comentario muito pertinente sem duvida, quero externar aqui meu apreço por sua pessoa e que o Senhor lhe direcione em sua vida e ministerio, grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Graça e paz irmão Cícero, lindo testo para reflexão, abraços e que Jesus continue abençoando, shalon...

    ResponderExcluir
  4. Obrigado Carlos Andre que sua vida seja manancial de bencaos a todos que te rodeiam, fica na PAZ!

    ResponderExcluir