quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Projetos de lei contra Deus e Sua Palavra - I

Se você que serve a Jesus Cristo, ainda não acordou para a realidade de que realmente estamos nos últimos dias que antecedem Seu glorioso retorno, deve prestar bastante atenção sobre o que está acontecendo hoje no Brasil. O atual governo petista tem sido pródigo em formular leis que, se aprovadas, farão com que seja posta uma mordaça na Igreja do Senhor. São projetos que afetarão nossa vida de fé. A coerção da lei cairá com força sobre todos os legítimos crentes em Jesus. Com o lançamento pelo presidente Lula do Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH) no dia 21 de dezembro de 2009 em forma de decreto presidencial (7.037/09), teremos em nosso país, caso seja aprovado, uma inversão de valores e o direcionamento mais incisivo para o futuro governo mundial anticristão conforme a palavra profética (Ap 13.7; Dn 7.25).

O atual governo, com o PNDH, conspira contra a sociedade, o estado de direito e particularmente contra a genuína fé cristã. A política econômica deste governo é admirada por outros países. As conquistas sociais são celebradas até por quem está em outro espectro ideológico. Mas os caciques petistas desejam amordaçar o livre trânsito de ideias no Brasil com a censura à imprensa, bem como pretendem implantar a chamada democracia direta com a implantação de iniciativas legislativas diretas como plebiscitos, referendos, leis de iniciativa popular e veto popular. Se isso for aprovado em lei, será na prática uma substituição das prerrogativas do Congresso Nacional. Diminui-se assim o conceito de democracia representativa e valoriza-se o conceito de democracia participativa e plebiscitária. Esta visão é defendida por ideólogos de esquerda e utilizados em países como Venezuela, Bolívia e Equador. Isto pode levar a um governo ditatorial com o passar do tempo.

A Constituição Federal já é alvo de descumprimento porque este governo pretende beneficiar amplamente os criminosos do MST em suas invasões. Com isto, o conceito de propriedade privada previsto no CF (art.5,XXII) será relativizado. A abolição da propriedade privada está implícita na expressão “novos anteparos jurídicos para mediar os conflitos de terra.” Será então retirada da Justiça a prerrogativa de expedir mandados de reintegração de posse em terras invadidas e será criado um órgão que “mediará” o conflito e “regulamentará” a reintegração de posse e isto é, na prática, a relativização do direito de propriedade.

Veja agora você mesmo vários outros projetos além do PNDH que já tramitam em Brasília:

1- Projeto de Lei 104/03 – trata sobre poluição sonora, mas busca fechar as igrejas por problemas com o som.

2- Projeto de Lei 952/03 – estabelece que sejam crimes os atos religiosos que possam ser considerados abusivos à boa-fé das pessoas. Os pastores serão considerados “criminosos” por ensinarem sobre dízimos e ofertas.

3- Projeto de Lei 1.154/03 – proíbe a veiculação de programas que o teor seja considerado “preconceito religioso”. Se aprovado será considerado crime pregar sobre idolatria, feitiçarias e rituais satânicos. A verdade sobre esses atos contrários à Palavra de Deus não poderá ser mais mostrada.

4- Projeto de Lei 299/99 – se aprovado, vai limitar os programas evangélicos no rádio e na televisão para apenas uma hora por dia. O restante da programação não poderá ter cunho religioso.

5- Projeto de Lei 6.398/05 – apenas poderão fazer programas de rádio e televisão pessoas com formação superior em Jornalismo. A maioria dos pastores não poderia atuar no rádio e na televisão.

Outros fatos:

* Com o apoio irrestrito do atual Ministro do Meio Ambiente há uma tendência para um projeto de legalização das drogas. Querem tornar oficial a liberalização do uso da maconha;

* Na Bahia, o poder público autorizou a colocação de estátuas de orixás no Dique do Tororó a fim de que sejam realizados rituais e oferendas. Os animais mortos durante os sacrifícios estão causando um desastre ambiental;

* Proposta de alteração da Constituição (art. 5, VI) a fim de que sejam proibidos os cultos fora dos templos (ou seja, extinção do evangelismo de rua);

* Aprovação de votação por lista para que os evangélicos fiquem fora dos processos eleitorais, não podendo mais ocupar cargos públicos;

* Aprovar projeto que cobrará impostos das igrejas. O dízimo e a oferta do cristão estarão sujeitos a cobrança de impostos.

Já existe uma lei vigorando nacionalmente, a Lei 10.257/01 que quando os municípios a adotarem em seus Planos Diretores estabelecerá que apenas serão construídas as igrejas que tiverem a aprovação dos vizinhos num raio de 500 metros. Obviamente que esta lei dificultará enormemente a construção de templos evangélicos porque dependerá do consentimento dos moradores.

Na parte II deste post, discorrerei sobre o PNDH no que tange ao aborto e em relação à questão homossexual.

Espero que as informações constantes nesta postagem levem você, crente em Jesus, a refletir e principalmente orar muito a favor da obra de Deus em nossa nação. O inimigo, naturalmente, tudo fará para obstar o avanço do Evangelho.

Em tempo: Pense nisto!

2 comentários:

  1. Qnta bobagem gente!!!!
    Vcs pensam q somos ignorantes a esse ponto???D acreditar nessa palhaçada???
    Vcs é q estão invertendo o objetivo desses projetos...me polpem e polpem o povo desse derespeito a nossa inteligencia.

    ResponderExcluir
  2. Vc se acha tão inteligente e escreve tão errado...

    ResponderExcluir