quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Não existem apóstolos contemporâneos


Alguns líderes da Igreja de nossos dias prezam grandemente os títulos e as posições exaltadas. Muitos pastores tem tomado para si o título de "apóstolos." Com toda sinceridade e com todo respeito devidos a estes amados irmãos, não consigo perceber no NT a direção para que alguém tome este título sobre si. Consideremos os seguintes pontos:

1) Em primeiro lugar, lemos o texto de Ef 4.11, onde se vê claramente os dons ministeriais da Igreja de Cristo: apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores (mestres). A supervisão da igreja era feita por estes ministros diferentemente dotados. Totalmente sob a direção do Espírito Santo e nada era feito segundo o critério humano;

2) Os apóstolos eram os representantes legítimos de Cristo aqui na Terra e deram prosseguimento à sua obra. A Igreja estava edificada sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, Ef 2.20;

3) Receberam originalmente a revelação cristã, Ef 3.5 e foram testemunhas especiais da ressurreição de Jesus Cristo.

Precisamos agora perceber algumas características específicas dos apóstolos:

1) Chamada pessoal da parte de Jesus Cristo, Gl 1.1; Mt 10.1;
2) A operação de sinais, prodígios e milagres, 2 Co 12.12;
3) O cuidado das igrejas e a responsabilidade de fazer discípulos em todas as partes da terra, 2 Co 11.28; Mt 28.19; At 15.36.

O ensino dos apóstolos chegou até nós em sua forma definitiva como é encontrado no NT. Submeter-se aos ensinos do NT significa portanto submeter-se aos ensinos apostólicos. E quanto ao número de apóstolos, obviamente que o NT não fala somente nos doze e em Paulo, mas, outros foram denominados também de apóstolos, entretanto, o que deve ser percebido é que, fundamentalmente, um apóstolo era testemunha ocular da ressurreição de Cristo e Paulo foi claramente uma exceção gloriosa neste caso (não estava presente no momento da ressurreição de Cristo, até porque, nesse tempo, nem convertido era), mas mesmo assim era considerado uma testemunha conforme ele mesmo afirma em 1 Co 15.8, 9, porque vira o Cristo ressurreto, mesmo que a posteriori.

Está claro que a função apostólica tem a comissão de testificar, por palavra e por sinal, sobre o Cristo ressurreto e Sua obra terminada. O ofício apostólico jamais poderia ser repetido ou transmitido. Os apóstolos zelavam para que fosse provido um ministério local e não se nota transmissão de funções apostólicas, como se vê na função pastoral propriamente dita, 2 Tm 2.2; Tt 1.5-9.

É por isso que cremos que não se pode atribuir o título de apóstolo a alguém neste nosso tempo, muito embora, à semelhança de um apóstolo, possa ir pioneiramente a alguma terra onde não haja a presença do Evangelho e ali pregar a Palavra e estabelecer uma igreja cristã. Porém, isto é claro, é função de um evangelista. Alguns tomam sobre si o título de apóstolo com ares de apóstolo à moda do NT. É inaceitável. Conforme o Novo Dicionário da Bíblia de Edições Vida Nova: "Nem era também necessária uma tal transmissão. O testemunho apostólico tem sido mantido na obra permanente dos apóstolos e, o que se tornou normativo para séculos vindouros é o que ficou escrito no Novo Testamento. Nenhuma renovação do ofício ou de seus dons especiais tem sido necessária. Foi um ofício do alicerce; e a história da Igreja, desde então, tem sido a superestrutura" (1983, p. 98).

Rejeito portanto, os autodenominados "apóstolos." Rejeito os ministérios apostólicos. Vejo como algo desnecessário esta denominação "apostolar" e tem um "quê" de vaidade pessoal em alguns, não em todos. O apóstolo, na visão de muitos desses, é visto como alguém superior, inatingível, intocável, inquestionável. Todavia, não quero julgar as motivações de ninguém porque o Senhor, somente Ele, é o juiz, Tg 4.11, 12.

Quando digo que não existem apóstolos contemporâneos que fique claro que é no sentido, como frisei, de como é apresentado no NT e que alguns acham que podem repetir o ofício apostolar, ou que, de alguma forma, poderia ser transmitido. Já vimos que não se coaduna tal pensamento com o que se encontra registrado no NT.

Por favor, se possível, amigo e irmão, pense nisso.

Um comentário:

  1. Concordo totalmente com a sua posição, pois hoje vemos muitos com título de apóstolo e executa as tarefas normais de um pastor de rebanho, se observarmos no livro de Atos dos apóstolos veremos que os apóstolos tinham um chamado específico nomeado diretamente por Jesus Cristo, já os apóstolos contemporâneos são intitulados sabe lá como e e quando são questinados vem com aquela "aí daqueles que tocam nos ungidos do Senhor", amados vamos nos preocupar mais em ganhar almas para Cristo, pois muitos estão preocupados em ser mais do que outros e todos somos homens sujeitos a cair, que o Senhor possa abrir os olhos desses que se acham e que venham fazer a coisa certa...

    ResponderExcluir